Sintomas da Baixa Autoestima

Pessoas com baixa autoestima são sempre duras consigo mesmas. Às vezes, elas nem conseguem aceitar elogios de verdade, porque questionam as intenções das pessoas.

Hoje eu vou falar sobre os sintomas de uma pessoa com baixa estima e o que você pode fazer se tiver problemas de autoestima.

Sintomas Comuns são:

Incapaz de confiar na sua própria opinião;

Medo de enfrentar desafios, preocupada em não superá-los;

 Rigorosa consigo mesma, mas tolerante com os outros;

Ansiedade frequente e turbulência emocional;

Causas da baixa autoestima

Na maioria das vezes, decorre da nossa infância. Aqui estão algumas experiências iniciais negativas que levam à baixa autoestima:

  • Punição frequente
  • Negligência frequente
  • Abuso crônico
  • Educação muito severa
  • Ser frequentemente intimidado / boicotado
  • Vivenciar o estresse ou desespero de outra pessoa
  • Falta de elogios, carinho e estabilidade emocional.
  • Ficar em uma família ou grupo onde outros membros têm preconceito em relação a você.

É na infância que iniciamos as nossas “ Regras de Vida ” que afetam a maneira como pensamos, e é por isso que todas as experiências negativas da infância podem ter um efeito muito duradouro em nossa vida adulta.

Quando falamos sobre autoestima, o importante saber, como as pessoas que conviveram ao seu redor lhe tratavam. O que você sempre ouvia dessas pessoas? Disseram que você é adorável ou nem sempre é boa o suficiente? Eles foram negligentes com você, o que a fez se sentir inútil?

Isso afeta muito a maneira como você se vê e, portanto, afeta sua autoestima.

Quais são as consequências de ter baixa autoestima e como isso afeta a sua vida?

Você não se permite abrir para o relacionamento e não confia no seu parceiro, mesmo quando não há razão para não o fazer.

Tem medo de intimidade. A conexão autêntica parece estranha ou falsa, então você se afasta emocional e sexualmente.

Porque você não se valoriza, você acredita que tem “sorte por ter alguém”. Você pode se valer de relacionamentos que correspondam à sua visão diminuída de si mesma e a deixem infeliz – não apenas consigo mesma, mas também em seu relacionamento.

A autoestima está intimamente ligada ao humor, portanto, quando está diminuída, você pode experimentar uma série de sentimentos negativos – tristeza, vergonha, ansiedade, medo, raiva, solidão, estresse e até depressão. Todos experimentam períodos de emoções negativas; mas uma pessoa que sofre de baixa autoestima terá mais dificuldade de sair deste ciclo.

Com o tempo, a baixa autoestima pode levar à depressão, de acordo com um estudo feito por pesquisadores da Universidade de Basel. O psicólogo Dr. Lars Madsen acrescentou que a baixa autoestima é “um fator chave tanto para o desenvolvimento quanto para a manutenção da depressão”.

Auto-aversão, odiar a si mesma fará com que você deteste seus próprios pensamentos e ações. Odeia seu corpo e isso acaba sendo refletido na forma como você se comporta em relacionamentos e no trabalho, como sentir-se indigna de auto-cuidado lhe dará licença para não cuidar de si mesma.

Como melhorar a autoestima

Como podemos ver, a baixa autoestima é um problema profundamente enraizado e leva a muitas consequências. Resolver não é uma tarefa fácil, mas é possível. A chave é usar os caminhos certos.

1. Ignore todos os conselhos de “positividade”

Muitas vezes, ouvimos as pessoas dizerem “Seja positiva”, “Ei, anime-se!”. Pessoas com depressão sabem que tudo isso não ajuda. Isso só as faz se sentir pior.

O mesmo para baixa autoestima, simplesmente dizendo às pessoas “Para mim você é maravilhosa!”, “Você é realmente incrível”, “Por que você não se valoriza mais?” Ou, pior ainda, “Ei, você deveria estar mais confiante”. Não melhora sua autoestima. Em vez disso, eles se sentem inadequados ou até mesmo culpados por seu comportamento.

2. Foco em outro lugar

“A autoestima saudável precisa aparecer sutilmente.”

Assim como a felicidade, você não se sente mais feliz imediatamente quando diz a si mesma para ser mais feliz. Você precisa de algumas maneiras concretas de fazer isso, como perseguir uma meta que realmente seja importante para você, como passar mais tempo com seus entes queridos.

Quando você quiser melhorar sua autoestima, não se esforce muito pensando em maneiras de fazer isso. Não há maneira direta de melhorá-la. Deve ser um subproduto da satisfação geral de nossa vida.

De acordo com o psicólogo Abraham Maslow, para viver uma vida plena, você deve cuidar dos 5 níveis das necessidades humanas básicas. Para ajudá-la a entender mais sobre esse modelo psicológico, veja a pirâmide abaixo:

Resumindo os itens acima veja a lista:

Conexão profunda com entes queridos

Um corpo saudável

Senso de controle

Um propósito de vida significativo

Reconhecimento e respeito de outros

Sensação de segurança

Criatividade

À medida que você gradualmente se prepara com as habilidades para atender às necessidades acima, você se esquece da autoestima e, de repente, sentirá orgulhosa de si mesma.

Se você perceber que tem baixa autoestima, não desanime. Tenha fé em si mesma, de que pode recuperar a autoestima e se tornar uma pessoa confiante e bem-sucedida.

Quer conhecer a Caixa de Ferramentas para ajudar a aumentar sua autoestima?

Clique Aqui e Conheça.

Não desista de você! Construa gradualmente a sua autoestima, Clique Aqui e conheça a minha caixa de ferramentas da Autoestima.

Eu vou ficando por aqui, espero que eu tenha conseguido te ajudar um pelo menos um pouquinho.

Se quiser falar comigo entre em contato pelo meu WhatsApp(61)9 9197-3596 ou me envie um e-mail para: contato@suzanaborges.com.br

Fique em paz!

Um grande beijo!

Suzana Borges

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *