5 maneiras de construir uma autoestima duradoura.

Muitas de nós reconhecemos a importância de melhorar nossos sentimentos de valor próprio. Quando nossa autoestima é maior, não apenas nos sentimos melhores sobre nós mesmas, como também somos mais resistentes. 

Os estudos de varredura cerebral demonstram que, quando nossa autoestima é maior, é provável que experimentemos feridas emocionais comuns, como rejeição, abandono, humilhação, traição, injustiça, como menos dolorosas, e nos recuperamos mais rapidamente. 

Quando nossa autoestima é maior, também somos menos vulneráveis ​​à ansiedade; liberamos menos cortisol em nossa corrente sanguínea quando estamos sob estresse e é menos provável que permaneça em nosso sistema.

Porém, por mais maravilhoso que seja ter uma autoestima mais alta, verifica-se que melhorá-la não é tão simples assim, pois não sabemos por onde começar. 

Diante disso, hoje eu quero lhe mostrar 5 dicas práticas que funcionam e que você já vai começar aplicar hoje mesmo. Topa??? 

Aqui estão cinco formas de nutrir a sua autoestima quando ela estiver baixa:

1. Use afirmações positivas corretamente

Afirmações positivas como:  “Vou ser um grande sucesso!” são extremamente populares, mas têm um problema crítico – tendem a fazer com que as pessoas com baixa autoestima se sintam piores consigo mesmas. Por quê? Porque quando nossa autoestima é baixa, essas declarações são simplesmente muito contrárias às nossas crenças existentes. Ironicamente, afirmações positivas funcionam para um subconjunto de pessoas – aquelas cuja autoestima já é alta. Para que as afirmações funcionem quando sua autoestima está ruim, ajuste-as para torná-las mais eficazes. Por exemplo, altere “Vou ser um grande sucesso!” para “vou perseverar até conseguir!”

2. Identifique suas competências e desenvolva-as

A autoestima é construída demonstrando capacidade e conquistas reais em áreas de nossas vidas que são importantes para nós. Se você se orgulha de ser uma boa cozinheira, faça mais jantares. Se você é um boa corredora, inscreva-se nas corridas e treine para elas. Em resumo, descubra suas principais competências e encontre oportunidades e carreiras que as acentuem.

3. Aprenda a aceitar elogios

Um dos aspectos mais difíceis de melhorar a autoestima é que, quando nos sentimos mal com relação a nós mesmas, tendemos a ser mais resistentes a elogios – mesmo que seja quando mais precisamos deles. Portanto, aprenda a receber elogios, mesmo que eles a deixem desconfortável.  A melhor maneira de evitar as reações de repulsa a  elogios é preparar respostas simples e treinadas para usá-las automaticamente sempre que você receber um bom feedback (por exemplo, “Obrigada” ou “Que gentileza a sua”). Com o tempo, o impulso de negar ou rejeitar elogios desaparecerá – o que também será uma boa indicação de que sua autoestima está ficando mais forte.

4. Eliminar a autocrítica e introduzir a autocompaixão

Infelizmente, quando nossa autoestima é baixa, é provável que a prejudicamos ainda mais por sermos autocríticas. Como nosso objetivo é aumentar nossa autoestima, precisamos substituir a autocrítica (que quase sempre é totalmente inútil, mesmo que pareça convincente) pela auto-compaixão. Especificamente, sempre que o seu monólogo interno autocrítico aparecer, pergunte a si mesma o que você diria a uma amiga querida se ele estivesse na sua situação (tendemos a ser muito mais compassivas com as amigas do que com nós mesmas) e direcione esses comentários para si mesma. Fazer isso evitará prejudicar ainda mais sua autoestima com pensamentos críticos e, em vez disso, ajudará a desenvolvê-la.

5. Afirme seu verdadeiro valor

O exercício a seguir foi demonstrado para ajudar a reavivar sua autoestima depois de sofrer um golpe: Faça uma lista de qualidades que você possui que são significativas no contexto específico. Por exemplo, se você foi rejeitada por alguém, liste as qualidades que a tornam uma boa candidata a um relacionamento (por exemplo, ser leal ou emocionalmente disponível); se você não conseguiu uma promoção no trabalho, liste as qualidades que a tornam uma funcionária valiosa (você tem ética no trabalho  é responsável). Em seguida, escolha um dos itens da sua lista e escreva um breve ensaio (de um a dois parágrafos) sobre as suas qualidades e como elas são valiosas e provavelmente serão apreciada por outras pessoas no futuro. Faça o exercício todos os dias durante uma semana ou sempre que precisar de um aumento na autoestima.

A conclusão é que melhorar a autoestima requer dedicação, pois envolve o desenvolvimento e a manutenção de hábitos emocionais mais saudáveis, mas fazê-lo e, especialmente, fazê-lo corretamente, proporcionará um ótimo retorno emocional e psicológico ao seu investimento.

Gostou dessas dicas? Depois volta aqui e me conta se elas lhe ajudaram de alguma maneira.

Se quiser falar comigo entre em contato pelo meu WhatsApp(61)9 9197-3596 ou me envie um e-mail para: contato@suzanaborges.com.br

Fique em paz!

Um grande beijo!

Suzana Borges

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *